Especial

Cheguei na terceira idade, e agora?

Cheguei na terceira idade, e agora?

Acalme-se, a única mudança agora é que você é integrante de uma parcela da população que precisa se atentar mais aos hábitos vivenciados até o momento.

Se você chegou na casa dos 60 trazendo na bagagem a prática de atividades físicas, alimentação saudável e muita história para contar, prepare-se para colher os frutos dos bons hábitos e curtir as vagas preferenciais.

Seguir uma dieta à base de líquidos, frutas, vegetais e legumes orgânicos não é uma exigência apenas para a terceira idade, pois já se sabe que alimentos industrializados não nos oferecem muitos benefícios, pelo contrário, são ricos em sódio e conservantes, substâncias que “envenenam” nosso corpo. Além de que em estações mais frias, a pressão arterial tende a subir.

Nessa fase da vida pode ser observada uma diminuição do olfato e do paladar, com isso, os gostos alimentares podem variar bastante. Agora, o corpo pede, cada vez mais, alimentos ricos em nutrientes, então, a atenção precisa ser voltada para o valor nutricional dos alimentos, não mais para a taxa energética.

Outro fator que passa a ganhar importância nessa geração é o estado de espírito. Com a aposentadoria e o aumento de horas vagas, é comum sentir-se improdutivo no dia a dia. Isso acontece porque há uma grande mudança no ritmo de vida de uma década para a outra, sendo assim, o corpo não se acostuma com facilidade, mas há como fugir dessa melancolia.

Segundo o geriatra Gabriel Martins de Oliveira, quando chegam a essa fase é importante terem ciência de que depressão não é sinônimo de envelhecimento, ou seja, não faz parte do processo natural da pessoa que envelhece. Manter sempre um bom círculo social, contato com familiares, amigos, igreja, grupos de terceira idade ajuda a prevenir tanto a depressão quanto a fortalecer a memória. Para melhorar a qualidade de vida, o geriatra aconselha a abandonar alguns hábitos, como o tabagismo e sedentarismo, e recomenda:


“É importante adotar a prática de exercícios físicos 30 minutos por dia durante 5 dias da semana. Além disso, evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, reduzir a quantidade de alimentos gordurosos, de doces e de frituras também ajudam bastante na prevenção de doenças cardiovasculares ”.


Uma dúvida frequente é: quando é a hora de começar a procurar um geriatra? Especialistas dizem que, assim que entram na menopausa, as mulheres já podem começar a caminhar para esse profissional, que auxiliará sobre as mudanças no corpo decorrentes desse período. A indicação é que para os homens a partir de 60 anos é a idade ideal. Assim como o indicado para as outras idades, a periodicidade ideal para a visita ao médico é uma vez por ano.


Para finalizar, o Dr. Gabriel deixa um recado:
“Importante reforçar que a vacinação contra a gripe não impede o idoso de ter a gripe, pois existem vários vírus circulantes em nosso meio; todavia, a vacinação protege o idoso de complicações decorrentes da gripe, como pneumonia, meningite, sepse, internações hospitalares, e isso sim tem impacto importante tanto para o indivíduo quanto para a Saúde Pública ”.

Imunização

Para curtir os netos com saúde e energia, não se descuide das vacinas. As principais são:

  • Influenza (gripe): Dose anual, recomenda-se no começo do outono.
  • Pneumocócica: Vale lembrar que essa é causa número 1 de mortes evitadas por vacinação.
  • Tríplice bacteriana (difteria, tétano e coqueluche): A partir dos 60 anos aumenta o risco de complicações por coqueluche.
  • Hepatites A e B: É recomendável de duas a três doses.
  • Febre Amarela: Prevenção da contaminação originária de mosquitos.
  • Vacina meningocócica: Prevenção da meningite.

Matérias Relacionadas